O tempo para abertura de uma empresa no país no segundo quadrimestre de 2020 foi, em média, de 2 dias e 21 horas, o que representa redução de 1 dia (25,8%) em relação ao período imediatamente anterior, 

Goiás é o estado com o menor tempo de abertura de empresas: 1 dia e 1 hora, com queda de 11 horas (30,6%) em relação ao primeiro quadrimestre desse ano. Entretanto, no mesmo período, o estado da Bahia registrou o maior tempo de abertura de empresas no Brasil: 7 dias e 18 horas, ainda assim há uma diminuição de 2 dias e 14 horas (25,0%) em relação ao 1º quadrimestre de 2020. Destaque para Florianópolis que conquistou o posto de mais ágil abertura entre as capitais, com tempo médio de 5 horas, seguida por Goiânia (20 horas) e por Brasília (1 dia e 2 horas). No outro extremo, Salvador teve o desempenho mais baixo entre as capitais, com tempo de 9 dias e 17 horas em média para abrir um novo negócio. 

No segundo quadrimestre de 2020 foram abertas 1.114.233 empresas, o que representa um aumento de 6,0% em relação ao primeiro quadrimestre de 2020 e aumento de 2,0% quando comparado com o segundo quadrimestre de 2019. No mesmo período, foram fechadas 331.569 empresas, uma queda de 6,6% no quantitativo de empresas fechadas se comparado com o primeiro quadrimestre de 2020 e queda de 17,1% em relação ao mesmo período no ano anterior. Os resultados revelam um saldo positivo de 782.664 empresas abertas, com um número total de 19.289.824 empresas ativas. 

São Paulo é o estado com o maior número de empresas no Brasil, com 5,4 milhões, sendo 317 mil abertas somente no segundo quadrimestre de 2020. Em seguida aparecem Minas Gerais, que alcançou a faixa de 2,0 milhões de empresas, com 122 mil abertas no 2º quadrimestre, e o Rio de Janeiro com 1,8 milhão, das quais 111 mil foram abertas no período deste Boletim. O estado do Amapá foi o que apresentou o maior crescimento percentual de empresas abertas no segundo quadrimestre de 2020, com aumento de 19,1% em relação ao primeiro quadrimestre de 2020 e 4,7% quando comparado com o segundo quadrimestre de 2019. Por outro lado, o estado de Sergipe registrou a maior queda: 6,4% em relação ao primeiro quadrimestre de 2020, porém com aumento de 3,3% em relação ao segundo quadrimestre de 2019. 

Os dados mostram avanços dos órgãos federais, estaduais e municipais em direção a um ambiente de negócios mais dinâmico no país, principalmente na redução dos tempos de análise para abertura de empresas. No entanto, percebe-se que o início do quadrimestre ainda apresentou uma desaceleração dos números de empreendimentos abertos em face da pandemia do COVID-19.


ìntegra em https://www.gov.br/governodigital/pt-br/mapa-de-empresas/

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Blog da BlueTax.

Join Blog da BlueTax